Fórum de Pró-Reitores de Planejamento e Administração inicia com debate sobre desafios da universidade no século vinte e um

Atualizado em 10/10/2019 às 16h54

Foto: Beatriz Beltrão - Dcom/UFCA

O II Fórum Nacional de Pró-Reitores de Planejamento e Administração (Forplad – Edição Nordeste) iniciou nesta terça-feira, 8 de outubro, no campus Juazeiro do Norte da Universidade Federal de Cariri (UFCA). O evento, que segue até esta quarta-feira, 9, foi aberto com palestra sobre os desafios da universidade brasileira no século vinte e um. Participaram da discussão o Reitor da UFCA, professor Ricardo Ness, e o Reitor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), professor Julianeli Tolentino de Lima.

Antes da palestra, os participantes tiveram a oportunidade de assistir à apresentação da Orquestra da UFCA, formada por estudantes e egressos do curso de Música da Universidade. Em seguida, na mesa de abertura, estiveram presentes o Reitor da UFCA, professor Ricardo Ness; o Pró-Reitor de Planejamento e Orçamento, professor Juscelino Pereira; o Pró-Reitor de Administração, professor Silvério Paiva; além do Coordenador do Forplad Nordeste, Franklin Matos Silva Júnior (UFSB).


Desafios das universidades no século XXI

Julianeli Tolentino abordou os desafios da universidade, por meio da experiência da Univasf. A instituição, criada para ter uma atuação multicampi, hoje está presente na Bahia, Pernambuco e Piauí. Por esse motivo, de acordo com o Reitor, já nasceu complexa e com o desafio de contribuir para o desenvolvimento de três estados, que estão localizados no semiárido brasileiro e possuem carência econômica e social. “As universidades públicas exercem um poder transformador nas regiões onde estão inseridas”, destacou. A ideia dele é aumentar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das áreas onde a Universidade está presente.

Citou como principal desafio, desde o início da Univasf, executar o que está disposto no artigo 207 da Constituição Brasileira: “as universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão”. Na opinião de Julianeli, é preciso valorizar ensino, pesquisa e extensão e priorizar assistência estudantil. “Não adiantava nada ofertar novas vagas, receber novos estudantes e não proporcionar a permanência desses estudantes”, disse.

Outros aspectos, segundo ele, giram em torno da valorização dos servidores, da aquisição de estrutura física e equipamentos e da luta pelo orçamento. “Lutarmos pelo orçamento que, infelizmente, hoje vem numa decrescente muito forte. Após o anúncio do bloqueio, recebemos de forma muito contundente um desafio maior para manter nossa universidade de portas abertas”, afirmou. O Reitor citou ainda outros desafios, como mudar a relação universidade-sociedade, fortalecer a formação de base na graduação, aprimorar a experiência via inserção internacional, apoiar o desenvolvimento da pesquisa e divulgar as ações e os resultados do que as universidades têm feito.

O Reitor da UFCA, Ricardo Ness, mostrou um vídeo de apresentação da Universidade e discorreu sobre a região do Cariri. Em seguida, pontuou os desafios que as universidades têm enfrentado nos últimos anos, comentando cada um. Para ele, as instituições de ensino superior públicas têm o desafio de pensar o mundo e a sociedade, no entanto há muita incompreensão. “Aqui é um ambiente onde a gente discute, critica, analisa. Isso vem de encontro aos posicionamentos atuais (…) que não há um entendimento que a universidade deve ter esse papel”, ressaltou.

Ele destacou outros dois problemas difíceis de lidar atualmente: os questionamentos sobre a autonomia das universidades e as mudanças tecnológicas na sociedade, que provocam implicações nos currículos e nos processos de ensino-aprendizagem. “Isso [revoluções tecnológicas] tem que ser trazido para a universidade. Nós, na universidade, estamos preparando nossos alunos para isso? (…). Tem que ser debatida também a implicação ética dessas novas tecnologias. Como essas tecnologias afetarão o ser humano? Estamos preparados para os novos profissionais, os novos currículos?”, questionou.

Outra dificuldade, na opinião do reitor, especialmente para as novas universidades que ainda estão se organizando e se estruturando, é o incentivo ao empreendedorismo e à inovação. Falou ainda sobre a dificuldade de abordar as questões de forma interdisciplinar e de trazer as novas abordagens cognitivas. Ness citou também desafios que a universidade já tem garantido no cenário atual, como servir à sociedade; garantir inclusão e justiça social; incentivar a internacionalização, a pós-graduação e o desenvolvimento da ciência e da tecnologia.

“Vejo grandes desafios que não se limitam somente à falta de recursos. No próximo ano, a situação é preocupante. Vai ser muito difícil fazer o trivial [com os recursos]. (…) Mas as universidades estão sendo atacadas e precisam ser defendidas. Todo projeto de um país de excelência passa pela universidade”, frisou Ricardo Ness.

Durante a noite, o evento prosseguiu com a palestra “O que os dados mostram sobre o desempenho acadêmico e perfil da renda dos estudantes” com o professor Kleber Fernandes de Oliveira, do Departamento de Estatística e Ciências Atuariais da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Ele mostrou que, até 2008, os estudantes que entravam na universidade possuíam um perfil de renda mais alta, mas, atualmente o quadro se inverteu, e, a maioria dos estudantes que frequentam as universidades públicas apresentam baixa renda familiar. Kleber apresentou ainda dados sobre o rendimento dos estudantes das universidades públicas, e seu estudo mostra que cotistas e estudantes que ingressam por meio da ampla concorrência apresentam o mesmo rendimento acadêmico.

Em seguida, o palestrante Leonino Gomes Rocha, Auditor Federal de Finanças e Controle da Controladoria Geral da União (CGU-CE), falou sobre programas de integridade, equidade e controle de riscos, destacando, como exemplo, o trabalho que a UFCA vem realizando nesse sentido.

E, encerrando o primeiro dia do evento, o professor Rosalvo Ferreira Santos, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), palestrou sobre a dinâmica recente da economia brasileira em termos regionais, debatendo com os participantes sobre crise financeira orçamentária atual.

Programação

Nesta quarta-feira, 9 de outubro, o evento segue com programação interna. Os Pró-Reitores de Planejamento e de Administração das instituições participantes vão discutir assuntos como o Regimento Interno, atividades realizadas no biênio 2018-2019 e a eleição da Coordenação do Forplad para o próximo biênio, 2020-2021.

Além disso, os Pró-Reitores titular (Juscelino Silva) e adjunto (Tiago Alencar) de Planejamento da UFCA também vão ministrar palestras. Juscelino tratará do tema “Gestão Orçamentária utilizando Business Intelligence” e Tiago, da experiência da UFCA no campo de Gestão de Riscos. As palestras ocorrem no auditório Bárbara de Alencar, a partir das 17h.


Forplad

O Forplad é o Fórum Nacional de Pró-Reitores de Planejamento e de Administração das Instituições Federais de Ensino Superior, ligadas à Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). Cada região do Brasil possui um fórum regional que, no caso da região Nordeste, é o Forplad/NE. A ideia dos fóruns regionais é que as discussões ocorram localmente, de acordo com a necessidade de cada região.

Serviço

Fórum Nacional de Pró-Reitores de Planejamento e Administração (Forplad) – Edição Nordeste

Onde: Universidade Federal do Cariri – campus Juazeiro do Norte

Quando: dias 8 e 9 de outubro

Mais informações acesse a programação