Nota de pesar pelo falecimento do mestre Raimundo Aniceto

Atualizado em 16/10/2020 às 14h53

Mestre Raimundo Aniceto. Foto: Jarbas Oliveira

A Universidade Federal do Cariri (UFCA) expressa profundo pesar pela perda do nosso mestre Raimundo Aniceto. Raimundo faleceu na noite desta quinta-feira, 15 de outubro de 2020, aos 86 anos, na cidade de Crato. De acordo com familiares, ele estava doente há 22 dias por problemas no coração e, ao ser internado em um hospital da cidade, foi testado positivo para o novo Coronavírus. Ele já se encontrava debilitado, em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), que havia sofrido há cinco anos.

Raimundo era integrante da banda cabaçal dos Irmãos Aniceto e membro da segunda formação do conjunto. Ele foi reconhecido como Mestre da Cultura pelo Governo do Estado no ano de 2004. Em 2019, foi inaugurado o Museu Casa do Mestre Raimundo Aniceto, que faz parte do projeto dos Museus Orgânicos dos Mestres de Cultura Tradicional do Cariri, do Sesc-CE.

A banda dos Aniceto é formada de tradições herdadas dos índios Kariri, originários da região. Zé Aniceto, pai de Raimundo, é a figura central, é o proponente de todo o mérito da fundação da banda, em 1835. A família sempre fabricou os seus próprios instrumentos para tocar e também vender. Esse ato faz parte da herança indígena, visto que as percussões são feitas com cabaçal e os pifes com taboca (madeira semelhante ao bambu). Suas perfomances nos palcos também fazem parte das influências dos Kariri. E todo o sucesso dos Irmãos Aniceto levou a cultura tradicional oriunda do Cariri pelo Brasil e pela Europa.

A UFCA externa condolências aos familiares neste momento de tristeza e saudade, com a certeza de que a memória do último integrante vivo dos Irmãos Aniceto, da geração formada pelos filhos, forma um importante alicerce da identidade nordestina.

Juazeiro do Norte, 16 de outubro de 2020.