Egressos que participaram do Programa de Aprendizagem Prática relembram como a experiência contribuiu para a formação profissional

Atualizado em 22/11/2022 às 13h50

Wilton, egresso do curso de Design e atualmente docente substituto do mesmo curso na UFCA, foi bolsista PAP por duas vezes - 2017 e 2019. Foto: Gabriela Meneses/Dcom-UFCA

Viver a Universidade vai muito além da sala de aula. Durante os anos de graduação, as/os estudantes, além de aproveitarem a convivência com pessoas diferentes e a formação em uma área específica, têm a oportunidade de se enriquecer pessoal e profissionalmente, com o envolvimento em diferentes atividades. 

No ano de 2022, a Diretoria de Comunicação da Universidade Federal do Cariri (UFCA), por meio da série Protagonismo Estudantil, publicada no Portal da UFCA, vem mostrando as possibilidades dos discentes depois que adentram o universo acadêmico. 

Até o momento foram relatadas as experiências de estudantes e egressos no movimento estudantil e em projetos de Pesquisa, Extensão, Ensino e Cultura.

Nesta terça-feira, dia 22 de novembro de 2022, será a vez de conhecer a atuação das/os estudantes no Programa de Aprendizagem Prática, conhecido como bolsa PAP. Essa experiência traz para as/os discentes a oportunidade de colocar em prática os conhecimentos aprendidos na sala de aula, dentro dos próprios setores da Universidade, sem a necessidade de sair da instituição para fazer estágio.

Bolsa PAP

O PAP, gerenciado, na UFCA, pela Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progep), possibilita às/aos estudantes atuarem em atividades práticas que desenvolvam competências nas suas áreas de formação, aliando a teoria e a prática e promovendo atividades aplicadas à realidade profissional. 

De acordo com o Anexo IX, da Resolução nº 01/2014, que institui e regulamenta o programa, entre os objetivos estão: contribuir para o processo de formação da/o estudante de graduação; facilitar a interação entre estudantes e profissionais da UFCA, visando contribuir para o processo de formação; e  desenvolver na/o discente a capacidade de iniciativa, responsabilidade, participação, criatividade e análise crítica.

Atualmente, o valor da bolsa é de R$500,00, por mês, geralmente durante dez meses, para cumprir 20 horas/semanais. No início de cada ano, os setores administrativos da UFCA abrem seus respectivos processos seletivos, disponibilizando as vagas e os cursos no qual a/o estudante deve estar matriculado. Depois de passar pela seleção e ser aprovado para algum setor, as atividades práticas iniciam. 

Quem tiver interesse em concorrer à bolsa PAP em algum setor da universidade deve acompanhar, nos primeiro meses de cada ano, a publicação dos editais por parte dos setores. As publicações podem ser acompanhadas no Portal da UFCA, no item Bolsas >> Programa de Aprendizagem Prática (PAP).

Três vezes bolsista PAP

A egressa do curso de Jornalismo, Fernanda Simplício, participou da seleção durante três anos consecutivos – 2016, 2017 e 2018 – para atuar na Diretoria de Comunicação da UFCA. Nas três vezes, ela foi aprovada e passou a exercer atividades na área de social media. 

Fernando Simplício, na época que era estudante da UFCA. Foto: Arquivo pessoal

A expectativa de Fernanda era se aproximar de um universo prático que não era contemplado em sala de aula e, mesmo fora da Universidade, não havia ainda tantas possibilidades de atuação. 

“Na época da graduação, as redes sociais não tinham um cenário tão forte e presente na vida das pessoas como tem hoje, então até as práticas em jornalismo eram limitadas para essa área. Por isso, assim que surgiu a oportunidade de trabalhar com jornalismo institucional no setor de social media da UFCA, eu abracei a chance e me candidatei para a vaga”, relembrou. 

Além das atividades nas mídias sociais, Fernanda também atuou com assessoria de imprensa e jornalismo institucional. “Aprendi desde a realização de entrevistas jornalísticas à organização de eventos institucionais que envolvessem a parte de comunicação e relações públicas da instituição. Realizava edições de vídeos, gravações de externas, cobertura fotográfica, cobertura jornalística, assessoria para a comunidade acadêmica e outras atividades que competem à prática jornalística”, explicou. 

Toda essa experiência durante a bolsa PAP proporcionou à egressa aprendizados que ela leva até hoje como ensinamento para a profissão. Atualmente, Fernanda é assessora de imprensa e estudante do mestrado em Comunicação da Universidade de São Paulo (USP).

Além do aprendizado técnico, a egressa ressalta que a participação no programa foi importante para outras questões relacionadas ao desenvolvimento profissional e também para o âmbito pessoal.

 “A bolsa PAP foi responsável por me trazer mais discernimento sobre a realidade do mercado de trabalho, principalmente nas relações que estabelecemos para compor a nossa carreira. A assertividade, organização, planejamento e estruturação de projetos – nos quais sempre eram necessários para as ações comunicacionais realizadas na bolsa – foram primordiais para direcionar o andamento da minha profissão”, destacou. 

Habilidades no trabalho

Carlos Alberto Rocha Ribeiro, egresso do curso de Administração Pública, também desenvolveu habilidades durante o período que foi bolsista PAP na Diretoria de Comunicação, durante o ano de 2016. No setor, Carlos atuou nas atividades administrativas, organizando rotinas diversas, produzindo documentos e auxiliando na elaboração de especificações técnicas para processos de compras.

“A experiência proporcionada pelo PAP me deu a certeza que tinha feito a escolha da graduação correta, atuar em órgão público, com toda sua complexidade é de fato minha paixão. Pude ver o dia a dia de uma instituição que tem por fim promover o bem estar social, prestando esse serviço com excelência”, frisou. 

Carlos Alberto, na época em que se formou em Administração Pública. Foto: Arquivo pessoal

Atualmente, Carlos contribui com o município onde nasceu e mora, atuando como assessor especial na Prefeitura de Santana do Cariri. Das principais habilidades aprendidas na época da bolsa PAP, ele destaca o aperfeiçoamento nas habilidades de comunicação, organização, atenção a detalhes e resolução de problemas. 

“O PAP proporciona ao graduando a oportunidade de por em prática conhecimentos teóricos e adquirir novos que só são adquiridos no dia a dia, no desenvolvimento de processos rotineiros”, disse. 

Wilton Carvalho Ferreira, egresso do curso de Design e atualmente docente substituto do mesmo curso na UFCA,  também foi bolsista PAP por duas vezes – 2017 e 2019. Ambas as situações na Pró-Reitoria de Cultura (Procult/UFCA). 

O professor conta que trabalhava com comunicação visual, no Núcleo de Comunicação, utilizando três programas de computador diferentes. Isso contribuiu significativamente para que ele, que ingressou muito jovem na universidade, com 16 anos, aprendesse novas habilidades. 

“Antes de sair da graduação, você tem que viver nesses estágios atividades práticas. A bolsa foi como um ensaio do mercado de trabalho. Nesse ensaio, a gente tinha que lidar com demanda, com projeto, com tempo e se relacionar com a equipe. É um ensaio, porque você lida com projetos, tempo e demanda, mas em uma carga horária menor”, detalhou. 

Entre as atividades desenvolvidas por Wilton estavam a produção de material gráfico dos projetos da Pró-Reitoria de Cultura, além de criação de marca e de identidade visual para eventos e campanhas. 

O trabalho na bolsa PAP auxiliou o egresso a adquirir habilidades no relacionamento com as pessoas e no trabalho em equipe. Contribuiu também com o conhecimento técnico, inclusive na atividade atual dele como docente.

“Dei duas vezes a disciplina de Computação Gráfica [na graduação]. [O trabalho] me fez ter uma visão mais apurada de software por estar trabalhando todos os dias com isso”, ressaltou Wilton. 

Auxílio financeiro

Além de todo o aprendizado adquirido, a bolsa PAP também proporciona auxílio financeiro para as/os estudantes, por conta do valor de R$ 500,00 recebido todos os meses. Wendell Soares Martins, que passou pela UFCA entre os anos de 2015 e 2020, no curso de Engenharia Civil, ingressou na bolsa PAP logo no terceiro semestre, na biblioteca do campus Juazeiro do Norte, para ter acesso a essa remuneração. 

Depois dessa experiência, ele conseguiu ir para a Diretoria de Infraestrutura (Dinfra/UFCA), lugar onde aprendeu mais sobre construção civil. Em ambas as oportunidades, Wendell, que hoje é engenheiro civil e atua na área, relata os aprendizados. 

Wendell Soares, egresso do curso de Engenharia Civil. Foto: Arquivo pessoal

“A bolsa da biblioteca me mostrou muito sobre organização em ambiente de trabalho, a logística por trás desse tipo de aquisição pública, aprimoramento do uso de planilhas e na escrita de ofícios e outros documentos  formais. Já enquanto bolsista da Dinfra, pude aprender muito sobre minha área de atuação. Dentre os aprendizados posso destacar: orçamentos de obra, processo de licitação, projetos de instalações, projeto de drenagem, vistoria de obra e principalmente, projeto de combate a incêndio, que é uma área que atuo até hoje”, contou. 

O docente Wilton Carvalho Ferreira, que foi egresso do curso de Design, acredita que a bolsa, além de contribuir financeiramente com a permanência de estudantes, ajuda na vivência na Universidade. 

“Muitos alunos vêm de uma situação financeira complexa, então é uma possibilidade de permanecer nesse universo. A bolsa é diferente do auxílio [auxílios estudantis]. Faz você permanecer e viver a instituição em algum nível, além da sala de aula. Fazer contatos e fazer redes com essas outras pessoas”, frisou. 

Viver a Universidade 

Wilton costuma indicar aos seus alunos a participação na bolsa PAP. Para ele, além de todo o aprendizado durante as atividades desenvolvidas, o estudante passa a compreender melhor como a universidade funciona. 

“A sala de aula é só um dos espaços possíveis. A universidade tem pessoas interessantes nos corredores, dos outros cursos. Então você vai conhecendo essa galera… Esbarrar com o outro é se conhecer também. É uma oportunidade de se conhecer e de amadurecer”, frisou. 

Toda essa vivência na universidade, incluindo a atuação como bolsista PAP,  deu a Wilton o desejo de permanecer na instituição. Atualmente, além de docente substituto da UFCA, ele é estudante do mestrado em Design da Informação na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). 

Para o futuro, ele pretende passar em um concurso público para permanecer como docente no campo da Comunicação e ingressar no doutorado. 

“Eu acho que essa vivência, que é uma vivência grupal da bolsa PAP na Procult, me deu esse feeling de como se relacionar, de como lidar com os alunos, de como ouvir. Essa experiência, é uma experiência tanto profissional como humana. Você lida com respostas negativas, faz contatos, faz networking. É algo que eu falo muito na disciplina de negócios para os estudantes: ‘eu fiz muitos contatos e esses contatos já me ajudaram em momentos difíceis'”, contou. 

Serviço

Diretoria de Comunicação
dcom@ufca.edu.br