Prae e Progep/UFCA divulgam informações para prevenção de casos de gripe na comunidade acadêmica

Atualizado em 07/01/2022 às 17h11

As Pró-Reitorias de Assuntos Estudantis (Prae/UFCA) e de Gestão de Pessoas (Progep/UFCA) – por meio da Divisão de Atenção à Qualidade de Vida do Estudante (DQVE-Prae/UFCA) e da Coordenadorias de Qualidade de Vida no Trabalho (CQVT-Progep/UFCA), respectivamente – vêm compartilhar informações sobre o aumento no número de casos de gripe no país, disponibilizadas pelo Ministério da Saúde e também pela Secretaria de Saúde do Estado do Ceará.

O Brasil tem registrado aumento de casos de infecções pelo vírus influenza, o vírus causador da gripe, nas últimas semanas. O tipo A da influenza é classificado em subtipos, como o A H1N1 e o A H3N2. Os surtos pelo país estão sendo impulsionados pela introdução de uma nova cepa do subtipo A H3N2, batizada de “Darwin”.

Embora possuam diferenças genéticas, todos os tipos do vírus influenza podem provocar sintomas parecidos, como febre alta, tosse, garganta inflamada, dores de cabeça, no corpo e nas articulações, calafrios, fadiga, perda de apetite, irritação nos olhos, mal-estar e diarreia, principalmente em crianças.

A nova cepa do vírus influenza A subtipo H3N2 é facilmente transmitida entre pessoas por meio de gotículas liberadas no ar quando a pessoa gripada tosse ou espirra – forma de contágio semelhante à da covid-19. Assim, a prevenção contra o influenza é a mesma da covid-19: com distanciamento físico entre as pessoas, uso de máscara e higiene das mãos.

Informações úteis

Pessoas que apresentarem sintomas gripais mais graves (como desconforto respiratório, falta de ar, pressão ou dor persistente no tórax, coloração azulada nos lábios ou rosto ou outros que atrapalhem as atividades diárias) devem procurar atendimento médico na Unidade Básica de Saúde mais próxima.

O subtipo do vírus da gripe não apresenta maior risco que os demais. No entanto, mesmo com letalidade menor que a covid-19, o H3N2 tem mais chances de evoluir para casos graves em grupos de risco (crianças, idosos, gestantes e indivíduos com comorbidades).

A propagação do vírus pode ter relação com a baixa cobertura vacinal contra a gripe, além da maior flexibilização das medidas de restrição adotadas como prevenção à covid-19 e do relaxamento da etiqueta respiratória – que inclui o uso de máscaras, higienização das mãos e distanciamento social. Por isso, a vacinação anual contra a Influenza é uma importante estratégia de prevenção, especialmente por auxiliar na redução do número de casos que evoluem para a forma grave.

De acordo com o Instituto Butantan, maior produtor de vacinas para a gripe do Hemisfério Sul, a previsão é de que a vacina para H3N2 chegue ao Brasil a partir de março de 2022.

Recomendações (igualmente utilizadas para a covid-19)

• Utilizar corretamente a máscara facial, de preferência as descartáveis;
• Evitar levar a mão ao rosto;
• Lavar as mãos (atentando para lavagem dos punhos, unhas e espaço entre os dedos) com água e sabão, com frequência. Ou utilizar o álcool em gel;
• Manter o distanciamento social;
• Dar preferência aos ambientes arejados e evitar aglomerações;
• Evitar cumprimentos com abraços, beijos ou apertos de mão;
• Cobrir nariz e boca ao tossir ou espirrar, utilizando lenços descartáveis ou o braço.

Fontes: Agência Fiocruz de Notícias, Ministério da Saúde e Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa)

Serviço

Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis
prae@ufca.edu.br

Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas
progep@ufca.edu.br