Início do Conteúdo

Mestrado em Desenvolvimento Regional Sustentável (PRODER)

Mestrado em Desenvolvimento Regional Sustentável

Coordenador: Francisco Roberto de Azevedo
Vice-coordenador: Carlos Wagner Oliveira

 

Objetivos: Formar e aprimorar pessoas capazes de atuar de forma propositiva para o desenvolvimento regional sustentável, com foco especial para a região semiárida.

 

Perfil do egresso: O egresso do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional Sustentável (PRODER) será capaz do exercício de atividades de ensino e pesquisa, de assessoria e consultoria, de avaliação e planejamento estratégico, em instituições públicas e privadas, no meio rural ou urbano, em caráter interdisciplinar; fomentar e consolidar pesquisas, de caráter interdisciplinar, sobre temas relativos aos processos de desenvolvimento de uma região, e em especial do semiárido.

Forma de ingresso: Provas de títulos, análise de projeto, prova escrita e prova de língua inglesa.

 

Linhas de pesquisa:

Linha 1: Ambiente e Desenvolvimento Regional Sustentável, que prioriza estudos sobre:

a) a biodiversidade e os recursos naturais da região, na perspectiva da conservação e da restauração do meio e das espécies nativas e o seu aproveitamento, respeitando as dimensões culturais, sociais e econômicas;

b) implicações das atividades humanas no meio, incluindo o monitoramento da qualidade da água, uso do solo, recuperação de áreas degradas, desertificação, mudanças climáticas;

c) análise das condições atuais e das possibilidades de uso de tecnologias apropriadas à produção, à transformação e à circulação de produtos regionais em bases sustentáveis, incluindo estudos envolvendo agroecologia e novas bases para a agricultura familiar;

d) uso de técnicas de geoprocessamento e sensoriamento remoto para auxílio às pesquisas e à produção.

 

Linha 2: Sociedade, Estado e Desenvolvimento Regional Sustentável, que prioriza estudos sobre:

a) organizações públicas e privadas e as estratégias para o desenvolvimento regional sustentável;

b) representações sociais e percepção ambiental;

c) educação e sustentabilidade;

d) elaboração, acompanhamento e avaliação de políticas públicas;

e) gestão ambiental e social;

f) papel da ciência e tecnologia para o desenvolvimento regional sustentável;

g) economia e planejamento regional e urbano.

  • Prioriza estudos sobre:
  1. A biodiversidade e os recursos naturais da região, na perspectiva da conservação e da restauração do meio e das espécies nativas e o seu aproveitamento, respeitando as dimensões culturais, sociais e econômicas;
  2. Implicações das atividades humanas no meio, incluindo o monitoramento da qualidade da água, uso do solo, recuperação de áreas degradas, desertificação, mudanças climáticas;
  3. Análise das condições atuais e das possibilidades de uso de tecnologias apropriadas à produção, à transformação e à circulação de produtos regionais em bases sustentáveis, incluindo estudos envolvendo agroecologia e novas bases para a agricultura familiar.
  4. Uso de técnicas de geoprocessamento e sensoriamento remoto para auxílio às pesquisas e à produção.

 

Linha 3: Tecnologia e Modelagem:

Enfatiza a importância da inovação tecnológica como estratégia contribuinte para a sustentabilidade, através da análise das condições atuais e das possibilidades de uso de tecnologias apropriadas à produção, transformação e circulação de produtos em bases sustentáveis, incluindo estudos envolvendo agroecologia e novas bases para a agricultura familiar, pelo manejo consciente da biodiversidade existente na região do Cariri e dos diversos equipamentos tecnológicos e sociais, além do uso de técnicas de geoprocessamento e sensoriamento remoto, utilizando-se a produção científica inovadora como ferramenta para a mudança da realidade local e regional.

 

Site do programa aqui.