Início do Conteúdo

O curso de Especialização em Tradução e Interpretação de Libras da Universidade Federal do Cariri (UFCA), a primeira formação lato sensu do Brasil na área, terá início com aula inaugural no próximo sábado (16), às 8h, no auditório Beata Maria de Araújo do campus Juazeiro do Norte. Na ocasião, os presentes poderão assistir à explanação da presidente em exercício da Federação Brasileira das Associações dos Profissionais Tradutores e Intérpretes e Guia-Intérpretes de Língua de Sinais (Febrapils), professora Sônia Marta de Oliveira, que vai contar sobre a sua experiência em tradução/interpretação da Libras. O evento, com duração prevista de 4h, é aberto a qualquer interessado, sem necessidade de inscrição prévia. Além de Sônia, são esperados o Reitor da UFCA, Ricardo Ness, a Coordenadora de Pós-Graduação da universidade, Rosilene Moreira, o Diretor do Instituto Interdisciplinar de Sociedade, Cultura e Artes (Iisca/UFCA), Cleyton Fernandes, a titular da Secretaria de Acessibilidade (Seace/UFCA), Francileuda Lima e a presidente da Associação de Intérpretes de Língua de Sinais da Região Metropolitana do Cariri (Apilmsc), Soraya Mendes.   Especialização em Tradução e Interpretação de Libras A Especialização em Tradução e Interpretação de Libras da UFCA objetiva qualificar profissionais com conhecimento em Libras para atuação como tradutores e intérpretes dessa língua. Ao todo, o curso tem duração prevista de 18 meses, com aulas práticas e teóricas, previstas para ocorrerem às sextas-feiras (das 18 às 22h) e, quinzenalmente, aos sábados (das 8h às 12h e das 13h às 17h). A coordenação do curso está a cargo do professor Roger Prestes. Serviço Curso de Especialização em Tradução e Interpretação de Libras Sala 51, Bloco C, Piso Inferior - campus Juazeiro do Norte (88) 3521.9531 \n O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Foi divulgado nesta quinta-feira (28) o resultado final do último processo seletivo para o curso de Especialização em Tradução e Interpretação da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Ofertando inicialmente 30 vagas, o curso selecionou apenas oito estudantes em um primeiro edital. Com isso, foi lançado outro processo seletivo, cujo resultado é o divulgado agora. Ao todo, sete candidatos foram selecionados neste segundo edital.   Especialização em Tradução e Interpretação de Libras A formação objetiva qualificar profissionais com conhecimento em Libras para atuação como tradutores e intérpretes dessa língua. Ao todo, o curso tem duração prevista de 18 meses, com aulas práticas e teóricas, previstas para ocorrerem às sextas-feiras (das 18 às 22h) e, quinzenalmente, aos sábados (das 8h às 12h e das 13h às 17h). As aulas estão previstas para começar no próximo dia 15 de março, no campus Juazeiro do Norte da UFCA.   Serviço Curso de Especialização em Tradução e Interpretação de Libras Sala 51, Bloco C, Piso Inferior - campus Juazeiro do Norte (88) 3521-9531 \n O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
A coordenação do curso de Especialização em Tradução e Interpretação da Língua Brasileira de Sinais (Libras) abriu novo edital para ingresso na formação. Antes, a seleção ofertava 30 vagas, mas só 8 foram preenchidas. Assim, as 22 restantes serão oferecidas pelo novo edital: 4 para pessoas surdas, 15 para ouvintes e 3 para servidores da UFCA.   Poderão se inscrever brasileiros e estrangeiros residentes no Brasil, graduados em qualquer área do conhecimento, acompanhados de pelo menos uma das seguintes comprovações específicas na área de Tradução e Interpretação da Libras:   - Certificação de Proficiência no Uso e Ensino da Língua Brasileira de Sinais – Libras (PROLIBRAS – MEC) - Certificação de Curso Técnico em Tradução e Interpretação da Libras – Língua Portuguesa de no mínimo 1.200h/a - Certificação de Curso de Formação em Tradutor Intérprete de Libras – Língua Portuguesa de no mínimo 240h/a.   Nos dois últimos casos, a seleção para a Especialização em Tradução e Interpretação de Libras da UFCA vai aceitar declarações que comprovem a frequência de candidatos em formações ainda em andamento, com carga horária já cursada de pelo menos 240h/a.   As inscrições vão até amanhã (14), pela internet, na página do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa/UFCA).      Especialização em Tradução e Interpretação de Libras A formação objetiva qualificar profissionais com conhecimento em Libras para atuação como tradutores e intérpretes dessa língua. Ao todo, o curso tem duração prevista de 18 meses, com aulas práticas e teóricas, previstas para ocorrerem às sextas-feiras (das 18 às 22h) e, quinzenalmente, aos sábados (das 8h às 12h e das 13h às 17h). As aulas estão previstas para começar no próximo dia 15 de março, no campus Juazeiro do Norte da UFCA.     Serviço Curso de Especialização em Tradução e Interpretação de Libras Sala 51, Bloco C, Piso Inferior - campus Juazeiro do Norte (88) 3521-9531 \n O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Professores e profissionais que atuam na área de acessibilidade relataram suas experiências no evento "Acessibilidade na Prática", realizado nesta segunda-feira, no campus Juazeiro do Norte da Universidade Federal do Cariri (UFCA), em alusão ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, celebrado em 3 de dezembro. A programação foi organizada pela Secretaria de Acessibilidade (Seace/UFCA), em parceria com o curso de Letras-Libras da UFCA, atualmente em implantação. Pela manhã, o professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Rodrigo Nogueira Machado, proferiu a palestra "Relato de experiência no departamento de Letras Libras da UFC". Na sequência, foi a vez da intérprete de Libras, Graziele Gomes, ministrar a palestra "Relato de experiência enquanto tradutora intérprete no Letras-Libras da UFC".   À tarde, a fala da pedagoga Adenize Queiroz, professora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), focou a acessibilidade no ensino superior. Para Adenize, que é cega e ingressou no ensino superior em 1996, houve avanços na superação de barreiras arquitetônicas, mas o maior desafio a superar é o chamado capacitismo, que inferioriza as pessoas com deficiência: "A universidade hoje é bem mais inclusiva do que foi no passado, mas nós temos que nos organizar também contra as barreiras das atitudes. Podemos ter as estruturas físicas mais acessíveis do mundo, mas se as pessoas não forem acessíveis, não vamos a lugar nenhum. É preciso que parem de ter pena das pessoas com deficiência, que acreditem no potencial dessas pessoas e, principalmente, que não ajam (pela inclusão) 'por' elas, mas 'com' elas, porque nós, pessoas com deficiência, fazemos a nossa parte. Não esperamos mais os nossos pais ou os nossos professores (para reivindicar direitos)". Fechando a programação, uma mesa redonda formada por servidores e estudantes da UFCA dissertou sobre acessibilidade. Uma das participantes da mesa, a estudante da Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais e Matemática, Maria Darlane Pereira, cega, relatou suas principais dificuldades no curso ministrado em Brejo Santo: "Passei meses só para aprender o nome do curso, mas a principal dificuldade ainda é ter acesso ao que os professores escrevem no quadro durante as aulas. No mais, estou gostando do curso", relatou. Também participaram da mesa a arquiteta da Diretoria de Infraestrutura (Dinfra/UFCA), Igliane Telles, a estudante de Biblioteconomia Maria Furtado de Sousa (Lelis), que usa muletas para se locomover, e a pedagoga servidora da Faculdade de Medicina (Famed/UFCA), Joana Angélica, que também usa muletas, para conviver com sequelas de poliomielite. Lelis relatou uma produção acadêmica intensa: "Entrei (na UFCA) sem (sistema de) cotas, já publiquei vários artigos sobre acessibilidade e também escrevi livros sobre esse tema. Pessoas com deficiência são capazes", afirmou. Joana, por sua vez, contou, com bom humor, experiências sobre o desrespeito a regras de acessibilidade por pessoas sem deficiência: "Certa vez fui ao supermercado e encontrei a vaga para pessoas com deficiência ocupada. Não vi nenhuma identificação ou adesivo indicando que o veículo conduzia alguém com deficiência e 'tranquei' o carro. Não deu 5 minutos e ouvi pelo sistema de som do supermercado um aviso para que eu tirasse o carro da frente (do veículo trancado). Não me importei. Com a insistência dos funcionários, que disseram que o dono do outro carro estava impaciente, eu disse apenas 'que ele se sente'. Quando terminei as compras, de fato o condutor não tinha nenhuma deficiência e deu a desculpa de que 'foi só um instante'. Isso acontece sempre. Em lugares com estacionamento disputado, muitos acabam usando as vagas especiais porque acham que os deficientes não estarão lá", acredita.   Serviço   Secretaria de Acessibilidade (Seace/UFCA) Sala 2 - Bloco A, campus Juazeiro do Norte  (88) 3221.9374 / 3221.9375
O II Fórum de Educação Inclusiva no Ensino Superior da Universidade Federal do Cariri (UFCA), realizado nos dias 15 e 16 de maio pela Secretaria de Acessibilidade (SEAC/UFCA) em parceria com a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE/UFCA) discutiu a inclusão de pessoas com deficiência no ensino superior. A abertura do evento contou uma mesa diretiva da qual participaram o vice-reitor da instituição, Juscelino Pereira, o pró-reitor de ensino, Plácido Andrade, a secretária de acessibilidade, Cristina Silva, a pró-reitora adjunta da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis, Liana Esmeraldo e a Coordenadora de Projetos Arquitetônicos da Diretoria de Infraestrutura, Louise Barbosa. Segundo a secretária de acessibilidade Cristiane Silva, o evento estabelece um importante campo de debate e tem como objetivo sensibilizar a comunidade acadêmica para a construção de uma universidade mais inclusiva. O Fórum contou com a participação de professores e especialistas em palestras e mesas redondas, discutindo temas como as políticas de inclusão, o atendimento médico e os métodos de avaliação para as pessoas com deficiência.   Confira as fotos do evento:
O II Fórum de Educação Inclusiva no Ensino Superior da Universidade Federal do Cariri (UFCA) será realizado nos próximos dias 15 e 16 de maio, no miniauditório (sala 89), do campus Juazeiro do Norte da UFCA. O Fórum, promovido pela Secretaria de Acessibilidade da UFCA em parceria com a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE),  traz professores e especialistas para debater diversos temas que envolvem a questão a fim de se alcançar uma educação inclusiva no ensino superior. No dia 15 de maio, o evento terá início com uma mesa redonda sobre a Lei Brasileira de Inclusão, às 19h. No dia 16 de maio, o fórum continua com mais uma mesa redonda no turno da manhã, com a participação de professores da UFCA. No turno da tarde, a partir das 14h, mais quatro palestras vão compor a programação debatendo o autismo, o atendimento médico à pessoa com deficiência, metodologias e métodos de avaliação. Para participar, os interessados podem se inscrever através de formulário eletrônico disponível na Plataforma Forms. Confira a programação completa: 15 de maio (terça-feira) 19h – Abertura - Mesa redonda Lei Brasileira de Inclusão, com os advogados Philippe Nery e Valeska Marçal   16 de maio (quarta-feira) 9h – Mesa redonda O Discente surdo: como lidar didaticamente com o aluno surdo no ensino superior, com o professor Mardônio Oliveira (Libras/IISCA/UFCA) Educação de surdos em relação ao PNE, com o professor Roger Lineira Prestes (Libras/IISCA/UFCA) Audiovisual e a acessibilidade da Pessoa Surda, com o professor Paulo Eduardo Silva Lins Cajazeira (Libras/IISCA/UFCA) 14h – O autismo na educação superior, com o professor Milton Jarbas (CCSA/UFCA) 15h – O atendimento médico à pessoa com deficiência, com o médico Sávio Samuel Feitosa Machado (FAMED/UFCA) 16h – Métodos de avaliação para estudante com deficiência, com o professor César Cusin (Faculdade Paraíso) 17h – Metodologias de ensino aplicadas na UFC para alunos com deficiência, com Davi Cândido (UFC)      
A Diretoria de Tecnologia de Informação da Universidade Federal do Cariri comunica que as listas de discussão com o domínio @cariri.ufc.br serão desativadas a partir do dia 1º de janeiro de 2015. Em substituição, novas listas foram criadas com o domínio @ufca.edu.br e já se encontram em funcionamento.
Com o auditório da Universidade Federal do Cariri – UFCA,  repleto de representantes de instituições e associações dos deficientes do Cariri, a Coordenadoria de Acessibilidade da UFCA promoveu, na última sexta-feira, dia 21 de março, uma roda de conversas sobre Acessibilidade.