Imprimir esta página

"Todos deveriam fazer algo pela sociedade onde vivem”, diz idealizadora do projeto UFCão

Terça, 11 Dezembro 2018 15:42
"Todos deveriam fazer algo pela sociedade onde vivem”, diz idealizadora do projeto UFCão Divulgação - UFCão
Iniciado em 2018, o UFCão é um projeto de extensão da Universidade Federal do Cariri (UFCA), de caráter educativo, que leva a estudantes do ensino médio de escolas publicas palestras sobre a causa animal, com temas como abandono, maus tratos, zoonoses, higiene e alimentação animal. Nas visitas às escolas, o UFCão também aborda o papel dos protetores de animais. Nesses encontros, por exemplo, os estudantes são orientados sobre como fazer denúncias de maus tratos e de abandono, sobre o controle da reprodução animal, sobre os benefícios da castração e sobre os riscos das vacinas anticoncepcionais. Após as palestras, os estudantes respondem questionário sobre os assuntos discutidos, para que a organização possa avaliar os impactos das falas e também pensar em melhorias. 
 
A proposta de promover educação sobre a causa animal veio da estudante de Administração da UFCA, Fernanda Bastos, que hoje atua como voluntária do projeto. Ela conta que sempre foi próxima à causa, mas nunca atuou efetivamente pela questão até deixar Fortaleza e vir morar no Cariri: “Quando comecei a estudar na UFCA eu senti que era o momento de eu fazer algo, de tomar a frente de alguma ação. Todos deveriam fazer algo pela sociedade onde vivem”, disse. Para Fernanda, especialmente o abandono de animais é um problema socioambiental sobre o qual todos devem ter responsabilidade: “acreditamos que um projeto de extensão, com seu caráter educativo, traria a correta mensagem sobre o abandono de animais”, explica. Ainda segundo Fernanda, não é necessário fundar uma organização não governamental (ONG) ou associação para ser um protetor dos animais, o que é frisado nas palestras do UFCão.
 
A ideia de Fernanda foi formalizada como um projeto de extensão da UFCA por meio de um edital da Pró-Reitoria de Extensão (Proex/UFCA) voltado a propostas da comunidade acadêmica. Sob a coordenação da professora do curso de Administração da UFCA, Waleska Félix, o UFCão já realizou 8 palestras em 2018, superando a programação inicial de 6. Ao todo, o projeto já atingiu 900 estudantes, todos no eixo Crajubar. O UFCão também participou de 5 feiras de adoção, orientando pessoas sobre adoção responsável, e da primeira edição da ação UFCA Itinerante, em Salitre, com duas palestras para crianças de 5 a 15 anos.
 
A UFCA Itinerante (iniciativa que leva atividades da UFCA a cidades do Cariri distantes dos seus campi) foi a última das ações do UFCão de 2018. Na visita a Salitre, nos dias 1º e 2 de dezembro, o desafio foi lidar com um público formado, em maioria, por crianças - portanto de menor faixa etária que o habitual no UFCão: “Eu pude me ver numa situação diferente, usando uma linguagem diferente”, diz Fernanda, que ressaltou a boa participação dos pequenos: “As crianças eram muitos sinceras e elas afirmaram a importância de cuidar e de respeitar os animais. Fiquei feliz por ter conseguido transmitir essa mensagem”, completa.
 
Para financiar o projeto, o UFCão também realiza ações como bazares e "dias doces", nos quais vende brigadeiros para arrecadar dinheiro. O projeto mantém ainda perfis no facebook e no instagram para divulgar suas pautas e atividades.
 
Parceiros

O UFCão faz parcerias com diversas entidades, como a Associação Protetora dos Animais (Apac), o Projeto Acolhe (também de conscientização sobre a causa animal), a Associação de Proteção à Vida (Aprov), o Centro de Controle de Zoonoses de Juazeiro do Norte e o curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário Leão Sampaio (Unileão). Pessoas físicas, como a protetora dos animais Jaqueline Gouveia e os médicos veterinários Huedo e Samira Batista, também apoiam o UFCão.

 

Lido 485 vezes