Início do Conteúdo

Estímulo à prática do aleitamento materno

Apesar de todas as evidências científicas provando a superioridade da amamentação sobre outras formas de alimentar a criança pequena, e apesar dos esforços de diversos organismos nacionais e internacionais, as taxas de aleitamento materno no Brasil, em especial as de amamentação exclusiva, estão bastante aquém do recomendado, e o profissional de saúde tem um papel fundamental na reversão desse quadro. 
 
Portanto, cabe ao profissional de saúde identificar e compreender o processo do aleitamento materno no contexto sociocultural e familiar e, a partir dessa compreensão, cuidar tanto da dupla mãe/bebê, como de sua família. É necessário que busque formas de interagir com a população para informá-la sobre a importância de adotar uma prática saudável de aleitamento materno.
 
Apesar da expressividade destes benefícios, a amamentação exclusiva não tem sido prioridade, onde se denota uma grande resistência das mães (dos recém-nascidos) em adotá-la, sobretudo, por falta de instruções e de acompanhamento.
 
Esta é uma realidade comum no município de Barbalha, no interior do Ceará, cujos indicadores revelam um número significativo de crianças em fase de amamentação exclusiva (menores de seis meses), que já não são alimentadas apenas com o leite materno.
 
Assim, vê-se essa ação como fundamental na perspectiva social, pois visa à qualidade de vida dos cidadãos barbalhenses, desde sua gestação. Além disso, a aproximação que o projeto proporcionará entre os acadêmicos e a sociedade é de fundamental importância na perspectiva acadêmica.
 
Coordenadora: Terentia Norões ( O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. )