Início do Conteúdo

Projeto CICLOS promove o uso da bicicleta como estilo de vida na região do Cariri

Quarta, 11 Outubro 2017 15:51
No mundo todo se observa o aumento do número de pessoas que escolheram a bicicleta como meio de transporte. Seja como lazer ou até mesmo como uma opção sustentável de locomoção, as bikes estão modificando o cenário do transporte atual. Pensando nas possibilidades de interação entre esses ciclistas e o espaço urbano, além de incentivar cada vez mais pessoas a utilizarem a bicicleta, a professora do curso de Design de Produto, Aglaíze Damasceno, criou o Projeto CICLOS.
 
Vinculado à Pró-Reitoria de Cultura (PROCULT) da UFCA, o Projeto CICLOS se utiliza do ciclismo para pensar a interação entre a cidade e as pessoas que vivem nela. Criado em maio de 2014, trabalha pensando em quatro temas: Ciclismo, Artes, Cultura e Cidades. A partir do desenvolvimento e interação entre esses temas são criadas atividades de formação voltadas para o público com o intuito de instigar uma maior conexão entre a comunidade, os ciclistas e a cidade. Segundo Aglaíze, “as atividades são trabalhadas a partir de metodologias que busquem sensibilizar o público, através da informação, das reflexões e do olhar atento para a cidade”.
 

Participação em Portugal 

 
O projeto também trabalha com a troca de experiências com diversos grupos que partilham as suas vivências com a bicicleta, promovendo e participando de encontros com os mais diversos grupos de ciclismo do Brasil e do mundo. 
 
No último dia 22 de setembro, o CICLOS foi apresentado em um evento que marcou as atividades do Dia Mundial Sem Carro na cidade de Coimbra, em Portugal. Na ocasião, Aglaíze Damasceno partilhou as experiências do projeto, mostrando como a bicicleta pode ser um elo de ligação cultural na cidade. 

 

Ciclofaixa de lazer

 
Entre os feitos do projeto, o destaque vai para a implantação da primeira Ciclofaixa de Lazer do interior do Estado, conquista que aconteceu após inúmeras manifestações encabeçadas pelo CICLOS. 
 
A Ciclofaixa, criada em 2015, consiste num trecho de 6 km de extensão na avenida Leão Sampaio (CE-060), entre a Praça da La Favorita e a entrada principal da cidade de Barbalha. A faixa é liberada aos finais de semana para o uso de ciclistas e demais praticantes de atividades físicas. Estima-se que cerca de 500 pessoas façam uso da ciclofaixa durante os finais de semana.
 
Aglaíze destacou a importância da participação dos ciclistas da região para a implantação da ciclofaixa. “Fizemos parte dessa conquista e somamos. A conquista se deve a esse movimento de união e à força de nossas ações em grupo que fez a diferença”, ressaltou. 
 
Além da Ciclofaixa de Lazer, foi inaugurada no último dia 19 de agosto a Ciclovia que interliga as cidades de Crato, Juazeiro e Barbalha. No total são 17km de faixa reservados para os ciclistas ligando as três cidades, sendo a segunda maior ciclovia do estado, perdendo apenas para a da capital Fortaleza, com seus 30 km de extensão. 
 
Para o projeto, o momento é de mostrar a importância de se ter um equipamento como esse na região. “As ciclovias fazem parte da estrutura orgânica de uma cidade, elas têm potencial de uso e para ter a funcionalidade que merecem é importante se trabalhar a informação e a educação no trânsito, com ações que gerem empatia entre o pedestre e os que se utilizam dos meios de transporte”, disse Aglaíze. 
 
Atualmente o projeto vem sendo coordenado pela professora Camila Prado, junto com a bolsista Adália Alencar, que acompanha o CICLOS desde a criação. Juntando Cultura, Arte e Ciclismo, o Projeto CICLOS instiga a população a pensar na cidade como um ambiente de convívio sustentável entre todos que nela vivem, mostrando que, além de um meio de transporte, a bicicleta pode ser também um modo de vida.
Lido 348 vezes